Crítica: Atravessa a Vida

Atravessa a Vida está sendo exibido no É Tudo Verdade - 25º Festival Internacional de Documentários e faz parte da Competição Brasileira de Longas e Médias-Metragens.

Mesmo depois de tanto tempo, ainda lembro da minha ansiedade durante todo o último ano escolar com a inevitável agitação que surge com a expectativa de uma nova vida e os desafios da mudança iminente. Esse é o tema de Atravessa a Vida [2020], documentário nacional escrito e dirigido por João Jardim que acompanha alunos do 3º ano do ensino médio de uma escola pública no interior de Sergipe enquanto se preparam para o ENEM.

Logo nos minutos iniciais, Atravessa a Vida introduz um orientador conversando com os alunos sobre suas expectativas para o futuro e a clássica frase "o que você quer fazer da vida?". Em uma espécie de aula de relaxamento, os estudantes compartilham suas aflições e as incertezas sobre qual caminho escolher, sentimentos que os adolescentes ainda não sabem que terão ao longo da vida.


Foto: Copacabana Filmes e Produções

Entre pensamentos inquietantes envolvendo a própria capacidade, os adolescentes falam sobre expectativas da família e as próprias expectativas em uma conversa curiosamente aberta. Fica claro que eles estão acostumados a ver a sala de aula como um ambiente aberto à discussões e compartilhamento dos próprios sentimentos.

Em diversos casos, esse ambiente seguro não existe dentro de casa entre seus familiares, algo que o documentário tem muita sensibilidade em mostrar. Intercalando momentos do cotidiano escolar - como uma barulhenta reforma no prédio da escola -, Atravessa a Vida também colhe depoimentos de alguns alunos, deixando que eles falem por si mesmo sobre suas questões particulares sem espaço para julgamentos. Algumas histórias são particularmente dolorosas, mas todas compartilham do mesmo tema: o abandono familiar.

Esse abandono afetivo é discutido em uma aula sobre saúde mental, lugar onde os alunos contam histórias doídas de amigos e familiares que cometeram suicídio. Em muitos casos, os transtornos psicológicos não são tratados com a seriedade que devem pelas famílias dos estudantes e fica claro que falta diálogo entre eles e seus pais, deixando para a escola o papel de criar espaço para essas conversas.

 

Foto: Copacabana Filmes e Produções

 

Essa esforço em mostrar o estado psicológico dos adolescente é extremamente importante para criarmos conexões com cada um deles. Em qualquer idade, nunca é fácil encarar o futuro e fazer planos que podem moldar nossas vidas por muito tempo, mas o peso dessas escolhas para os adolescentes é quase sufocante. Mesmo que a escola entenda esse peso, tomar decisões importantes faz parte do processo de se tornar um adulto. Vendo o documentário, é impossível não torcer por cada um deles e desejar que todos conseguissem as notas que precisavam no ENEM, mesmo que tenha visto apenas um pequeno momento de suas vidas.

O documentário também evidencia como os professores podem fazer diferença na vida dos estudantes não apenas na trabalhoso - e desvalorizado - processo educacional, mas no incentivo constante. Não é fácil ser professor em um país como o Brasil, onde a profissão não é valorizada como deveria. No fim, Atravessa da Vida é um documentário emotivo que apresenta uma geração capaz de mudar o mundo se estiver preparada para isso.